segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Nosso próximo lançamento, uma Kölsch turbinada

 
Uma das nossas primeiras cervejas foi a Bamberg Altbier, tradicional estilo de Dusseldorf, logo em seguida comecei a fazer a Bamberg Kölsch, de Colônia e rival das Altbier, a rivalidade é tão grande que é impossível alguma cervejaria de Dusseldorf fazer Kölsch e vice-versa, com certeza a Bamberg é uma das poucas cervejarias no mundo que produz ambos estilos dentro da mesma cervejaria.
Em 2012 lançamos nossa cerveja sazonal a Bamberg CaoS, que é do estilo Doppelsticke, raríssimo de encontrar, é uma espécie de Altbier mais potente em álcool e lúpulo.
Em um dos vários momentos de degustação da Bamberg Caos, eis que Janaina solta a frase: Por que até hoje ninguém produziu o equivalente da Doppelsticke para o estilo Kölsch?
Na hora eu me dei conta que seria uma grande sacada, que até agora, pelo que eu pesquisei, ninguém fez esta “provocação”, pois duas cidades com tanta rivalidade, como Colônia e Dusseldorf, tantas histórias entre Altbier e Kölsch, como os cervejeiros de Côlonia deixaram passar desbercebido isso?

Foi então que comecei a pensar sobre a minha Kölsch mais potente, não saberia dizer qual nome seria adequado para o estilo, mas o foco da receita era fazer uma Ale, clara e com 8,0% de álcool, meu medo era de aparecer muito o calor do álcool, coisa que eu particularmente, vejo isso como um erro de processo.
Depois de alguns meses pensando na receita, arrisquei colocar em prática, fermento de Kölsch, só maltes claros, três lúpulos diferentes e uma grande atenuação para que a cerveja fique refrescante, se é que é possível uma cerveja com 8,0 de álcool ficar refrescante.
Neste momento a cerveja esta maturando e lançaremos em março, mais uma vez a Bamberg trás para o Brasil um estilo de cerveja inédito, e ainda, está não é a primeira vez que fazemos uma cerveja que não se enquadra em estilo nenhum, quem sabe no futuro estas cervejas serão novos estilos.
No próximo post falarei sobre o rotulo, nome da cerveja e análise sensorial.

7 comentários:

rotenfussbier disse...

Oba Agora já pode pedir???

Luiz Henrique Garcia disse...

Que beleza Alexandre !
Ficaremos no aguardo.
Algo parecido com uma Strong Golden Ale por exemplo ?

Abs.

Alexandre Bazzo disse...

rotenfussbier pode sim, pelo contato@cervejariabamberg.com.br.

Abraço

Alexandre Bazzo disse...

Luiz Henrique Garcia,

A idéia é que fique uma cerveja seca, algumas SGA acho muito doce, lembrando que a SGA são cervejas da escola Belga, e esta que fiz, segue a escola Alemã, poderiamos dizer que é uma DoppelKölsch.

Abraço.

Luiz Henrique Garcia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Henrique Garcia disse...

Maravilha Alexandre !
De fato algumas SGA tem esse dulçor pronunciado.
Quando estará disponível no PDV ?

Abraço.

Marco Aurélio Piacentini disse...

Alexandre,
Mais uma vez a Bamberg yrtrazendo inovação.
Eu, particularmente, já me aventurei nesse campo, e desenvolvi uma Kolsch turbinada, mas com o mesmo receio do calor do álcool, limitei-a a 6,5%, porém acentuei propositadamente o aroma e amargor, com Saaz e Hallertauer Mittlefruh.
Eu, e os companheiros cervejeiros locais, apreciamos muito o resultado, porque resultou numa cerveja alemã, com características próximas às da APA, porém sem tanto corpo, exatament com mais frescor...
A sua tem tudo para ser inesquecível.
Parabéns!!!